Thursday, December 6, 2012

Pequeno review do Kobo Touch

Video (youtube) com as telas da introdução (guided tour)

Neste video há uma pequena descrição da operação básica do novo Kobo Touch à venda a partir de hoje, na Livraria Cultura.



Espero que lhe seja útil para ajudar na tomada de decisão, sempre difícil, entre quais "gadgets" comprar entre tantas opções.

Tuesday, November 27, 2012

Kobo lança Pré-Venda a R$400


Agora é oficial! O início das vendas do Kobo no Brasil será dia 05 de Dezembro, uma quarta-feira.

A Livraria Cultura colocou de volta sua Página do Kobo e lançou a pré-venda.

Há também um vídeo no youtube com a primeira propaganda.


Os preços sugeridos não estão muito em conta, por R$400 você recebe R$1 de troco. Isso dá em torno de US$ 195. O preço é o mesmo do Positivo Alpha vendido pela Saraiva.

Vamos fazer uma comparação.
Hoje, comprar um (ou dois) Kindle (botão) 6" com Wi-fi importado pelo site da Amazon custa o valor apontado pela tabela abaixo (esquerda, duas unidades; direita uma unidade)

Kindle da Amazon, em dólar:
 Duas Unidades

 Items (2):


US$178.00
 Shipping & Handling:US$28.97

 Total before tax:US$206.97
 Estimated tax collected:US$0.00
 Import Fees DepositUS$196.87

Order Total: US$403.84


 Uma Unidade

 Items:


US$89.00
 Shipping & Handling:US$21.98

 Total before tax:US$110.98
 Estimated tax collected:US$0.00
 Import Fees DepositUS$105.56

Order Total: US$216.54


Kindle da Amazon, em reais (cotação do dólar 27/11/2012):
 Duas Unidades

 Items (2):


R$369.48
 Frete & Manuseio::R$60.13

 Total sem impostos:R$429.61
 Imposto estimado:R$0.00
 Taxa de Importação:R$408.64

Total do Pedido: R$838.25


 Uma Unidade

 Items:


R$184.74
 Frete & Manuseio:R$45.62

 Total sem impostos:R$230.36
 Imposto estimado:R$0.00
 Taxa de importação:R$219.11

Total do Pedido: R$449.47


Portanto, vemos que a diferença de preço do importado não é tão grande assim! Por mais R$50 você pode comprar um Kindle com todas as despesas de importação e taxas!

E se comprar duas unidades, o preço por unidade fica em R$419.13! Ou seja, apenas R$20 de diferença.
O lançamento é apenas do modelo Kobo Touch, em várias cores (preto, prata, lilas, azul, e tem também o branco que faltou na foto acima).

A pergunta que fica é: será que vale a pena mesmo comprar um Kobo? Ou ainda é melhor o Kindle?

Para responder essa pergunta, temos que avaliar as facilidades de leitura de livros fora do "próprio" sistema. Ou seja: é possível ler livros conseguidos (comprados, grátis, recebidos por email, etc.) por outros meios que não a Amazon para o Kindle e a Livraria Cultura para o Kobo?

O Kindle suporta os formatos: Kindle (AZW), TXT, PDF, MOBI desprotegido, PRC nativo; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG, BMP por conversão. Além do Kindle Keyboard aceitar audiobooks com Audible Enhanced (AA, AAX) e MP3.

O Kobo Touch aceita os formatos EPUB, PDF, MOBI, JPEG, GIF, PNG, BMP, TIFF, TXT, HTML, RTF, CBZ e CBR (os dois últimos para quadrinhos).

Em ambos é possível passar um livro do computador para o aparelho (no formato aceito). Em ambos é possível fazer comprar de livros pela internet do seu fornecedor principal para o aparelho.

O Kobo tem memória expansível através de um cardão SD, enquanto o Kindle não tem.

Mas em ambos a "nuvem" irá manter a biblioteca particular de cada um, o que torna a memória algo não tão importante, devido à quantidade mínima já disponível por aparelho, que é grande o suficiente.

Em relação ao "sistema" fechado, a Amazon está muito mais organizada. Seus apps (aplicativos para celular) funcionam melhor.

Ao clicar em Minha Biblioteca de Ebook
A Livraria Cultura tem seu próprio app, e mais de 1500 usuários atribuiram uma estrela, por problemas de usabilidade. O Kobo tem seu próprio app, e para BlackBerry é simplesmente uma lástima, não funciona. Além disso, o site da Livraria Cultura ainda não oferece link para baixar o app da Kobo, não há integração. Também não se vê integração das "nuvens" já que o Kobo já tem a sua, e a Livraria Cultura tem outra. Será que os livros que um usuário já tenha comprado pela Kobo internacional serão integrados à biblioteca da nuvem da Livraria Cultura? São dúvidas que no momento nem as próprias empresas sabem responder.


Outra coisa: os preços praticados! Apesar da Amazon ser mais "chata" com o DRM (gerenciamento de direitos), seus preços são muito mais em conta! Com muitos livros inclusive "de graça". Seu site é extremamente fácil de navegar, e se pode ver claramente livros em papel em oposição aos livros eletrônicos.

No Brasil, a Livraria Cultura está começando a praticar preços que realmente não agradam. Se um livro da moda como o 50 tons de cinza custa no papel R$29,00, não tem sentido que em meio eletrônico custe R$25,00! É muito dinheiro considerando que não há transporte, frete, nem papel e fabricação (exceto editoração) incluído.

O mesmo livro, na Amazon, em inglês, custa US$15 em paperback e US$8 (quase metade) em versão digital.

Se a Amazon conseguir praticar preços no Brasil como é sua política em outros países, dá para entender porque os empresários brasileiros tem medo da Amazon. Ela irá realmente iniciar uma competição fora do "corporativismo" já estabelecido. Nesse caso, talvez esperar a abertura do site amazon.com.br seja o mais sensato a fazer.

Mas a espera é para poucos. O natal está aí, e muitos querem seu leitor. A demora da Amazon vai lhe custar mercado. E comprar um Kindle para quem não sabe inglês é um tanto complicado. Então, enquanto isso...

Bem vindo, Kobo, ao Brasil!

Tuesday, November 20, 2012

Site da Livraria Cultura abre página da Kobo

Segundo o blog RevoluçãoEbook desde ontem à noite (19/11/12) o site da Livraria Cultura colocou no ar a página http://www.livrariacultura.com.br/kobo/ onde se pode ver propagandas e especificações técnicas do Leitor de Livros Digitais (no inglês "ebook readers" ou somente "ereader") da marca Kobo.

O ereader é diferente de um tablet, pois usa em sua tela tecnologia nova chamada e-ink (tinta eletrônica), enquanto dos tablets, já sabemos, usam LCD ou LEDS. Os tablets tem a vantagem de permitir cores e muitos aplicativos, jogos, etc.

O que é a vantagem do tablet na verdade acaba sendo sua própria desvantagem quando se trata de manter sua atenção presa a uma leitura, concentrado. O tablet distrai demais, e sua tela é cansativa para a vista por ser emissora de luz. Além disso, você precisa carregar a bateria do tablet em média a cada um terço de dia (8 horas).

Aí entra o ebook reader: sua tela imita o papel (preto e branco). A tecnologia do e-ink consiste em "imantar" gotículas de "tinta" que formam as letras. Uma vez formadas, as letras lá permanecem, sem necessidade de uso de bateria. Isso entrega ao consumidor duas vantagens imediatas: primeiro, o tempo de bateria. Uma vez que a bateria só é usada no momento da "formação" da página, ela permite que uma única carga dure até quatro semanas (1 mês!). A segunda grande vantagem é que a tela imita o papel no sentido de que não é emissor de luz. Isto significa que você precisa iluminar a tela para ler no escuro, o que pode ser visto como uma desvantagem. Por outro lado, os olhos não ficam cansados, nem a retina é agredida pela constante emissão de luz dos LCDs ou LEDs.

Em relação à pequena desvantagem de não se poder ler no escuro, os novos modelos de ereaders agora contam com uma iluminação própria (de luz indireta). São LEDs embutidos no aparelho, porém montados de "costas" para o leitor, com sua luz apontada para a própria tela. Pronto! Resolvido! Você pode ler no escuro, com luz indireta, como se tivesse aceso um abajur.






Wednesday, November 14, 2012

Livraria Cultura e Kobo e-reader

Boato 1: antes de ontem (12/11/12) uma vendedora da livraria cultura relatou que ainda essa semana os leitores de livros digitais Kobo -- da empresa que fez parceria com a Livraria Cultura com o fim de disponibilizar uma solução completa e-reader/e-book -- estariam na vitrine!


Boato 2: dia 13/11/12, ao confirmar a notícia, outro vendedor informou que só a partir do dia 25/Nov/2012. Informações desencontradas, e pouco interesse da mídia.

Não custa lembrar: a entrada de leitores de livros digitais na Livraria Cultura é o início de uma revolução sem volta. E isso pode influenciar diretamente nos custos que a Amazon praticará ao entrar no mercado brasileiro para vender o famoso e onipresente Kindle, o que deve acontecer ainda no primeiro semestre de 2013, quiçá primeiro bimestre!

Notícia verídica: hoje, dia 14/11/12. O gerente Dantas, da Livraria Cultura Recife Shopping Riomar, disse, em entrevista para este blogueiro, que ainda não há nada definido. Nesta data, na parte da tarde, os funcionários teriam uma primeira reunião/treinamento com dois "multiplicadores" que chegaram de São Paulo após fazerem eles o treinamento e receberem a incumbência de transmitir para os outros funcionários e gerentes os pormenores.

De modo que amanhã é um ótimo dia para colher novas informações na própria livraria, e fazer perguntas que podem elucidar os fatos.

Nada, hoje, pode ser confirmado por Dantas: preços, data de lançamento, política de uso de livros comprados externamente à Cultura, tipos de livros acessíveis, tipos de Kobo readers... Nada tinha resposta clara.

A única previsão é que será este ano! Quem passar na Livraria Cultura amanhã (15/11/12), melhor dar uma perguntadinha sobre como foi a reunião de treinamento e o que ficou decidido. Comentários abaixo seriam ótimos!

---
Editado 17/Nov/12:

Em nova passada na loja, conversei com o gerente para saber como foi o curso, e se tinha algo novo que pudesse ser comunicado. Infelizmente, ainda não se sabe data de lançamento, nem preços. Mas a promessa é que o Kobo será uma experiência completa, com opções de comprar ebooks da Livraria Cultura e baixar direto para seu aparelho. Além disso, será uma plataforma aberta, que permitirá a leitura de livros comprados em outras fontes.

A meu ver, entretanto, para ler um livro comprado para o Kindle, se o mesmo estiver protegido por DRM, acredito que não será possível. Mas existem soluções para eliminar a proteção, com o software Calibre e alguns plugins.

Outra coisa que me chamou a atenção: o curso que os funcionários estão fazendo tem duração de 7 módulos. Cada módulo de um dia deverá ser apresentado duas vezes para turmas de funcionários da manhã e tarde. Deste modo, o fim do treinamento ocorrerá em pelo menos 14 dias. Se a Livraria Cultura for esperar todo esse tempo para lançar o Kobo, o lançamento deverá ocorrer somente na última semana de Novembro, ou até mesmo entrar em Dezembro! Teremos que aguardar mais.

Wednesday, November 7, 2012

Hino Nacional para Leigos (Anthem for dummies)

É triste ver a educação nacional despencando por culpa de políticas que preferem ver números de alunos em estatísticas, sem qualidade nem capacidade para leitura.

Por outro lado, o Hino Nacional é de uma grande dificuldade de interpretação, sendo inclusive tema de diversos vestibulares. Abaixo uma simplificação, eliminando inversões que facilitam a melhor identificação de sujeitos e predicados. Ao final, pequeno glossário.



Hino Nacional Brasileiro para Leitura

O brado retumbante de um povo heróico foi ouvido das margens plácidas do Ipiranga,
e o sol da liberdade, em raios fúlgidos, brilhou no céu da pátria nesse instante.

Se conseguimos conquistar com braço forte o penhor dessa igualdade,
ó liberdade, em teu seio desafia o nosso peito à própria morte.

Ó pátria amada, idolatrada. Salve! Salve!

Brasil, desce à terra um sonho intenso, um raio vívido de amor e de esperança, se em teu céu formoso, risonho e límpido resplandece a imagem do Cruzeiro.

Colosso impávido, és belo, és forte, gigante pela própria natureza, e o teu futuro espelha essa grandeza.

Brasil, ó pátria amada, tu és a terra adorada entre outras mil.
Brasil, pátria amada, és mãe gentil dos filhos deste solo.

Ó Brasil, fulguras florão da América, deitado eternamente em berço esplêndido, iluminado ao sol do novo mundo.

Teus campos risonhos e lindos têm mais flores do que a terra mais garrida;
nossos bosques têm mais vida e nossa vida tem mais amores no teu seio.

Ó pátria amada, idolatrada. Salve! Salve!

Brasil, seja símbolo de amor eterno, o lábaro estrelado que ostentas, e o verde-louro dessa flâmula diga -Paz no futuro e glória no passado.

Mas se a clava forte da justiça se ergues, verás que teu filho não foge à luta, nem quem te adora teme a própria morte.

Brasil, ó pátria amada, tu és a terra adorada entre outras mil.
Brasil, pátria amada, és mãe gentil dos filhos deste solo.



Glossário

retumbante: que retumba, ressoante, sonoro.
plácidas: calmas
fúlgidos: brilhantes
penhor: objeto de valor
límpido: nítido
resplandece: emite luz própria
Cruzeiro: nome de uma constelação (Cruzeiro do Sul)
Colosso: estátua de grandeza extraordinária (Colosso de Rodes, uma das sete maravilhas do mundo)
impávido: destemido, corajoso
fulguras: destaca-se, sobressai (figurado). Literal: relampejar.
florão: glória (figurado). Literal: ornamento em forma de flor.
garrida: ostenta, fala, grita
lábaro: estandarte, bandeira
ostenta: mostra, exibe
flâmula: pequena bandeira (figurado). Literal: pequena chama.
clava: arma de ponta de ferro e cabo de madeira. cacetete.

Monday, September 17, 2012

História da Língua Portuguesa


(a) latim lusitânico, língua falada na Lusitânia, desde a implantação do latim até o século V;

(b) romance lusitânico, língua falada na Lusitânia, do século VI ao século IX, da qual, como da fase anterior, não temos nenhum documento escrito;

(c) português proto-histórico, língua falada na Lusitânia, do século IX até fins do século XII, e da qual podemos vislumbrar algumas características nas palavras intercaladas em textos do latim bárbaro;

(d) português arcaico, que vai de princípios do século XIII (1211?) até o fim do século XIV;

(e) português arcaico médio, que vai do século XV a fins da primeira metade do século XVI e representa a fase de transição entre a era antiga e a era moderna do idioma. Na primeira metade do século XVI a língua começa a ser codificada gramaticalmente [A primeira gramática de nossa língua – A Grammatica da lingoagem portuguesa, de Fernão de Oliveira – foi publicada em 1536];

(f) português moderno, que se estende da segunda metade do século XVI até a ratificação do Acordo Ortográfico de 1990, que foi adotado pelo Brasil em 2010, com obrigatoriedade a partir de 2013, e por Portugal gradualmente, tendo o estado adotado a nova grafia a partir de 01/Jan/2012;

(g) português pós-moderno, com grafia unificada entre a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), com a adoção gradual dos países membros a partir de 2009.

Saturday, April 21, 2012

Criptografia em poucas equações


Criptografando e descriptografando...

Suponha que você, por motivos particulares, queira receber secretamente o dia que foi agendada a sua consulta médica.

Primeiro você manda as chaves públicas para seu médico. São duas. Por exemplo, mande n = 15, e = 3.
Seu médico pega a data (t), por exemplo, dia 13, e calcula o número secreto (c) com:

c = (t^e) mod n
(sendo mod simplesmente o resto da divisão de t^e por n)
t^e = 13^3 = 2197
2197/n = 2197/15 = 146 e resto 7.
Logo, c = 7.

Então seu médico manda o número 7 para você!

Você recebe o número e vai descriptografar. Para isso você precisa da sua chave secreta que só você tem, neste caso d = 11. Você tem o número secreto (c) e quer achar o dia (t).

t = (c^d) mod n
c^d = 7^11 = 1977326743
1977326743/n = 1977326743/15 = 131821782 e resto 13
t = 13!!!

Fácil, não? Agora vamos ver como achar as chaves n, e e d.

Encontrando as chaves...

Primeiro, você precisa de um n (chamado de módulo público) tal que n>t. Para isso escolha dois números primos tal que n=p*q.

No nosso exemplo, foi usado p=3, q=5. Logo, n=3*5=15. Detalhe, como n=15, o médico só consegue criptografar números de 1 a 14! Para o dia do mês, melhor escolher os primos 5 e 7, n=5*7=35.

Agora calcule o e (chamado de expoente público). Antes, calcule m=(p-1)*(q-1), também chamado de phi. No nosso caso m=(3-1)*(5-1)=2*4=8. O e é um número qualquer, tal que m não é divisível por e (ou se preferir, o MDC - máximo divisor comum - entre eles é 1, ou ainda, e e m são co-primos), também 1 < e <m.

No nosso caso, e=3 não tem fatores em comum com m=8. Outros números que poderiam ser usados são 5 e 7. Não precisa ser primo.

Achou e e n. Falta achar d, que é a inversão modular. Para achar d, simplesmente encontre um valor qualquer tal que (d*e) mod m = 1 (ou se preferir, d= (1/e) mod m. Também 1 < d < m, e claro, você quer d diferente de e.
No nosso caso, d=11, isto é, existe um inteiro k tal que d = (1 +km)/e = (1 + 4*8)/3 = 33/3 = 11, ou se preferir, (d*e) mod m = 1, (11*3) mod 8 = 33 mod 8 = 4 e sobra resto 1.
Agora que tem todos os números, publique as chaves n (módulo público) e e (expoente público). Guarde a chave secreta d (expoente secreto).

Recomendações:

A seguir, recomendações que não invalidam matematicamente a equação, mas que se não forem seguidas permitem quebrar a criptografia mais facilmente.

  1. p e q devem ser números de tamanho parecido em bits.
  2. p e q devem ser grandes (digo, grandes mesmo).
  3. p e q não devem ser próximos, ou seja, p-q deve ser grande.
  4. Para ter uma chave de 1024 bits, p e q devem ter 512 bits.
  5. e pode ser pequeno, mas não muito pequeno. Números pequenos ajudam na velocidade de encriptação. Mas pelo menos e>65537 é um começo popular para buscar o valor de e.
  6. d deve ser mais ou menos do tamanho de n.
  7. Se precisar de segurança por mais tempo, use chaves de 2048 bits.
  8. Se a mensagem a ser criptografada for muito curta, aumente-a com texto aleatório.
  9. Se for enviar a mesma mensagem para diversos receptores, faça pequenas alterações aleatórias em cada mensagem.
Tamanho: um número de bits por dígitos
bits | dígitos
 512 |  154
1024 |  308
2048 |  616


Outro exemplo:

Suponha que escolhemos os primos:
p = 5
q = 7
Agora:
n = p*q = 35
m = (p-1)*(q-1) = 24
Achar e, sem fatores em comum com m:
m = 2 * 2 * 2 * 3
e = 5
Achar d = (1+km)/e = (1 + k*24)/5, para k=1 temos:
d = (1 + 24)/5 = 25/5
d = 5
Mas não está bom, pois achamos d = e! Vamos achar outro d. Para k = 6 temos:
d = (1 + 6*24)/5 = (1 + 144)/5 = 145/5
d = 29
Agora sim!

Públicos: n=35, e=5
Secreto: d=29


Criptografando: 

Supondo que o dia seja t=11, temos:
c = t^e mod n = 11^5 mod 35 = 161051 mod 35 = 40601 e resto 16
Logo, c = 16

Descriptografando:


Recebemos a mensagem secreta c = 16, temos:
t = c^d mod n = 16^29 mod 35 = 83076749736557242056487941267521536 mod 35 = 2373621421044492630185369750500615 e resto 11
Logo voltamos a t = 11